Mulher em pé no alto de uma montanha olhando a vista.

o dia que o fracasso venceu

Era final de Abril de 2021. Após um ano de pandemia complicado, lá estava eu, angustiada, triste, sem enxergar um passo para frente.

Seria fácil falar que eu estava daquele jeito por causa de um ano pandêmico. Mas o que mais me doía era o fato de que eu gostei de viver aqueles dias trancada em casa.

Para muitos foi difícil, desafiador. Pra mim, uma libertação.

O que havia de errado comigo?

Me culpava por me sentir assim.

Não entendia o que estava acontecendo.

O período mais difícil havia passado. Já estávamos em 2021, a vida começando a voltar ao normal.

E eu entrei em pânico.

Olhava para o espelho, e não reconhecia a minha imagem.

Olhava para a minha vida, e não fazia mais nenhum sentido.

Eu me sentia perdida, e não sabia por quê.

Foi então que parei. Respirei. Acalmei.

Voltei em 2020, e revivi aqueles dias tristes para entender o quê, exatamente, me fazia sentir feliz, mesmo vivendo uma realidade dolorosa.

Foi então que consegui perceber. A vida que eu vivia, com todos os meus compromissos, era a vida que queriam e esperavam que eu vivesse.

Eu fazia coisas apenas para atender às expectativas dos outros, e em nenhum momento atendia às minhas expectativas.

O que me trazia alegria naqueles dias de pandemia, era o fato de que em casa, eu era eu. Eu atendia às minhas expectativas. Não tinha que me preocupar com as tarefas e compromissos que eu tinha, que já não faziam mais sentido pra mim. Eu vivi a minha essência.

Ao retornar à vida normal, paralisei.

Não podia mais voltar àquela vida que nunca me pertenceu.

A minha mente começou a trabalhar para me mostrar o que precisava ser feito.

Foi então que o fracasso venceu.

O fracasso de não ser aquela pessoa que esperavam que eu fosse.

O fracasso de não fazer escolhas que os outros esperavam que eu fizesse.

O fracasso de viver na sombra.

A solução era apenas uma: decidir por qual caminho seguir. O caminho do precipício, fazendo as mesmas coisas que eu estava fazendo, ou o caminho de subir a minha montanha, para chegar no topo e me permitir brilhar.

Escolhi subir a minha montanha, um caminho mais desafiador, onde foi preciso tomar decisões, mudar a rota, mesmo que isso desagradasse à alguns.

Porém, o caminho da montanha é onde eu mesma precisei abrir para trilhar, onde a bússola é o meu coração para me guiar.

Se você sente que o fracasso também te venceu, se permita fracassar.

O fracasso de não ser você só traz uma coisa para sua vida: liberdade.

Liberdade de ser você.

Liberdade de viver a SUA vida.

Liberdade de silenciar tudo e todos que só querem que você faça o que esperam de você.

Permita que o fracasso vença para abrir espaço para o bem mais precioso ocupar o seu devido lugar: você no comando da sua vida.

Um abraço,

Priscila Serato


Descubra mais sobre A Casa Mágicka

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe uma resposta

plugins premium WordPress

Descubra mais sobre A Casa Mágicka

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading