Mulher sentada na ópera de arame em Curitiba.

como achar o seu próprio estilo

Você já percebeu que quanto mais estudamos assuntos que nos trazem alguma expansão de consciência, sentimos uma necessidade de externalizar essa transformação? Nos sentimos diferentes, e o que antes fazia sentido, passa a não fazer mais.

Eu tenho vivido esse processo, de forma mais intensa há 3 anos, e senti que preciso compartilhar com você.

No post de hoje nós vamos bater um papo sobre:

  • Autoconhecimento e transformação
  • Como a nossa imagem (roupa) é muito mais que apenas uma necessidade de cobrir o corpo
  • Estilo pessoal e comunicação

Quando iniciei meus estudos ocultistas, não imaginava que faria um mergulho tão profundo no autoconhecimento. Muito menos, que esse estudo faria com que eu revisitasse portas já fechadas por mim, na minha vida.

Uma dessas portas é a moda, uma área que estudei, trabalhei, mas achei que esse ciclo tinha se encerrado na minha vida. Só que não!

Quanto mais aprofundo nos estudos ocultistas, mais me conheço, mais sinto a necessidade de externar o que eu sou em essência, e a maneira mais concreta de fazer isso é através da moda, dando vida ao meu estilo pessoal.

Estilo está diretamente ligado ao autoconhecimento. Ele consegue comunicar o que somos em essência.

Mas nem sempre é assim.

Quando fecho os olhos e me vejo desde a infância até hoje, vejo que tive fases em que eu estava perdida. Vestia roupas pelo simples fato de achar bonito, ou porque estavam na moda, ou porque alguém que eu curtia muito o estilo, usava.

Em nenhum momento pensava em mim, no que eu queria comunicar através daquela roupa.

Porque roupa é comunicação. Comunica quem você é, seus valores.

Roupa tem o poder de falar, de colocar limites, ou dar aberturas.

Roupa é muito mais que um corte bem feito, uma marca, uma cor, ou um tecido.

É autoconhecimento.

Para escolher as suas roupas, você precisa dar voz a quem você é em essência. Só assim, você se sentirá de fato vestida, e feliz.

Quantas vezes vestimos uma roupa e não nos sentimos bem, não é mesmo? Sempre achamos que é nosso corpo, tô mentindo?

Mas a verdade é que na maioria das vezes o problema não é o nosso corpo. O problema é que nós não nos enxergamos naquela roupa.

Por isso é preciso se conhecer, e à medida que você vai se encontrando com o seu eu verdadeiro, você vai externando a sua essência através da maneira como se veste.

É um processo lento, de ciclos, pois estamos constantemente descobrindo novos aspectos a respeito de nós mesmas. Mas você pode começar pelo seu eu de hoje. Se permita se conhecer um pouco mais hoje, e vá aprofundando.

Uma ferramenta que me ajudou muito foi conhecer os meus arquétipos. Através deles me conectei de uma forma tão intensa comigo mesma, que me permiti me conhecer ainda mais.

Os arquétipos trazem luz sobre aspectos que ainda podem estar em sombras, a respeito de nós mesmas.

Todas nós temos os 12 arquétipos, mas temos um que domina, que é o mais forte, que representa a nossa personalidade. E temos um secundário que complementa os espaços vazios do dominante. O secundário é aquela pitada a mais que faz toda a diferença.

Conhecendo seus arquétipos, você vai conhecer mais sobre comportamentos, estilo, estilo de vida, valores e sombras que ressoam com eles. E com isso vai se ver, se reconhecer. E nesse reencontro, uma reflexão profunda é feita. E aí começa o seu mergulho no seu autoconhecimento.

Quando eu descobri os meus arquétipos eu me emocionei. Até então não tinha tido uma percepção tão clara a respeito de mim mesma. Foi um momento libertador. Percebi o quanto eu estava me reprimindo há anos, e agora, aos poucos, estou dando asas a quem eu sou verdadeiramente.

A primeira coisa que senti necessidade foi em alinhar o meu estilo.

Estou em um processo de renovar meu guarda-roupa, para deixar ele a minha cara, com o que realmente faz sentido pra mim. Só entram peças que realmente comunicam o que sou.

Já pode imaginar quanta coisa estou tirando também né?

Quando você alinha o seu estilo à sua essência você tem mais clareza sobre cores, materiais, cortes, comprimentos, tipos de acessórios, corte de cabelo, maquiagem, enfim, você sabe exatamente como quer se comunicar através da sua imagem.

Se você também está na busca do autoconhecimento, se permita viver esse processo de alinhamento da sua imagem também.

É um processo gostoso, que a gente se olha de uma maneira amorosa e respeitosa, dando valor a quem somos. Não sei você, mas eu, há muito tempo não me olhava assim.

Para começar esse mergulho em você mesma, comece se fazendo algumas perguntas:

  • Como você gosta de se sentir ao se vestir? Confortável? Sexy? Formal? Criativa? Pronta para qualquer evento?
  • O que mais te incomoda na hora de se vestir? É um comprimento justo? Longo? Médio? Salto? Rasteiras? Informal demais? Infantil demais?
  • Quais as cores que você acha que mais realçam a sua beleza?
  • Quais os cortes você mais gosta? Cintura marcada? Cortes mais retos? Cortes assimétricos?
  • Você ama estampas ou é mais da turma dos lisos?
  • Se gosta de estampa, você gosta em qual tamanho? Pequena, média ou grande?
  • Qual a sua peça de baixo preferida? Calça, saia ou short?
  • Tem alguma marca que você ama muito? Que pra você é uma inspiração? Se sim, tente listar o porquê você ama tanto as roupas dessa marca.
  • Qual ou quais tecidos você mais gosta? Tecidos naturais ou sintéticos? Dentre a categoria que você escolheu, qual é o seu preferido? Ex. eu amo tecidos naturais, e o meu preferido é linho.

As respostas dessas perguntas já vão ser o início do seu manual de você mesma. Elas vão te mostrar o caminho para você começar a trilhar em busca da sua autenticidade.

Faça uma lista de tudo que você respondeu nessas perguntas, e escolha, entre as suas resposta, as que você mais ama. Comece então a experimentar a mistura dessas respostas.

Exemplo: o que eu mais amo é linho + cor rosa + conforto + sapatos baixos + lisos + saias/vestidos + tênis + calças com corte reto, estilo alfaiataria. Agora eu vou experimentar combinações entre as coisas que mais amo. Que tal montar um look com uma calça de alfaiataria + camiseta básica + tênis?

Entende?

É experimentando e ousando que você vai descobrindo o seu verdadeiro estilo. Porque estilo nada mais é que a sua maneira de expressar a sua essência através do ato de se vestir.

Liberte quem você é!

PS: E se você precisa de uma manual pra te guiar nesse processo de encontrar seu estilo pessoal, vem ler esse post.

Um abraço,

Priscila Serato


Descubra mais sobre A Casa Mágicka

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe uma resposta

plugins premium WordPress

Descubra mais sobre A Casa Mágicka

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading